sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

O amor segue


Sagrado é o poder do tempo
O poder de persistir no tempo
A duração!

Manter a perseverança
Do bem, do bom, da paz
Dar felicidade
Seguir correto, firme

O sucesso chegará das profundezas do universo
A nuvem passa
A chuva atua
A semente silenciosamente nasce
E todos os seres fluem
Para suas próprias formas

Do sublime amor
Nada se perdeu
O amor é de quem ama
Nunca de quem foi amado
Nada se perdeu, o amor segue
Pois breve é a vida

Cada criatura responde
Segundo sua natureza
Para aquilo que foi devido
Uma pedra sera sempre uma pedra
Mesmo coberta de lôdo ou ouro
Somente atitudes verdadeiras e sólidas
Abrem o caminho certo
Seguir sem culpas evitar olhar para trás.


Eliézer Rolim, 18/05/07.

3 comentários:

Michel disse...

Esse poema me passa uma ideia de força, de algo q jamais descança. da força q resiste. Me veio a cabeça de uma planta famosa por sua força, o Cajueiro. Podiam ser outras q existem no nordeste, mas eu quis mostrar as frutas vermelhas no meio de uma seca causticante.
Espero q gostem!
Abraço!

Kel Calado disse...

Poxaa
me passou a mesma coisa michel força e saudades ao mesmo tempo essa palavrinha me acompanha
sempre,saudade,e que acima de tudo temos que ter esperança e acreditar nos nossos reais sonhos eles vao realizar basta queremos e lutar

xerussss

pelo texto putzz quero um livro desse cara

Patrícia de Medeiros disse...

Adorei o poema, depois de lê-lo saímos bem mais felizes, mais confiantes em nós mesmos!

Tenha certeza de que gostei, o desenho ficou bem legal mesmo!

Beijinhos

 
Contador de visitas

Contador de visitas