sábado, 29 de dezembro de 2007


Em campo aberto de quintal, ciscados de terreiro

O galinheiro estaqueado de varas ao fundo

Meio oriundo da cozinha segue uma puxada

E a batucada do pilão de segundo a segundo

Vejo cisternas e tonéis de interno cimentado

Que são represas pros banhados canecos de flandre

O sanitário é um chalezinho lá no fim da casa

Visto daqui da cumeeira desta casa-grande.

4 comentários:

anne disse...

a raaaaaaaa primeiro cometario eh o meeeeeeeeu!! perfeitinhos como sempre, o texto igualmente complexo como a imagem!! desenha d+++++ msm!
=*

prepostojpa disse...

Magister

Essa imagem juntamente com esse texto, me fez lembrar dos meus tempos de criança, quando viajava com meus pais para o interior da Paraíba e ao contemplar o cenário da vida pela janela do carro, via "um xalesinho lá no fim da casa".
Segundo o Prof. Dr. Marins, a Cultura "é um conjunto de tradições, necessidades e aspirações de um povo em uma determinada sociedade", essa imagem, juntamente com o texto de Jessié,vem expor parte de nossa história de nossa cultura, cultura nordestina, cultura brasileira, cultura de minha terra que merece ser presentificada e vivida por cada paraibano.

Parabéns boy, muito boa essa imagem.

PS: Vamos pensar na Casa Grande.

Patrícia de Medeiros disse...

acompanhando, para deixar o comentário para o final!

Oscar Romero disse...

A Cumeeira de Aroeira Lá da Casa Grande .
sem cometários...
a principio tenho q deixar claro q jah virei fã desse "cabra vei"!
valeu Michel a forma q vc consegue inlustrar o sentimento transmitido pela poesia é impressionante...
esse ultimo surpreendeu muito. vc eh o "CABRA"!
valew

 
Contador de visitas

Contador de visitas